Boa Noite !     Utilizadores Online:       

DISTRITOS
Algarve
Aveiro
Beja
Bragança
Braga
Castelo Branco
Coimbra
Évora
Guarda
Leiria
Lisboa
Portalegre
Porto
Santarém
Setúbal
Viana do Castelo
Vila Real
Viseu
Açores
Madeira
main
main

Acerca da violência…

Data adicionada : November 17, 2015 03:00:04 PM
Autor:
Categoria:
 

17 novembro 2015


A violência das palavras, dos actos e da não acção (comodismo, conformismo, alheamento, alienação…).

A violência não se combate com mais violência!

Muitos de vós estarão, neste momento, a pensar que se trata de uma frase feita e que não passa de puro lirismo. Mas, a verdade é que, se reflectirmos um pouco, cada um de nós, poderá identificar, facilmente, pelo menos uma situação, do seu quotidiano, em que uma reacção violenta a uma acção violenta, não só, não sanou o conflito como serviu para o ampliar e intensificar. Verdade?!...

Os atentados ocorridos na passada sexta-feira, em Paris, obviamente, que geraram tristeza, medo e, admito, revolta, pela sua profunda crueldade, pela escolha aleatória de vítimas inocentes (cidadãos anónimos). Mas… todas estas vidas ceifadas que, claramente, não têm preço, não podem ter mais valor do que todas as vidas perdidas, diariamente, na barbárie vivida na Síria ou todas as vidas perdidas em África, devidas à fome e à falta de condições de saúde e salubridade.

Infelizmente, todas estas pessoas inocentes, morrem pela mesma razão: interesses económicos!!!

Não se acaba com a guerra porque é necessário alimentar a indústria do armamento, manter o negócio "vivo" e rentável. Não se acaba com a fome porque é preciso manter elevado o preço dos alimentos, produzidos pelas "super potências". Para os mais distraídos, recordo, a comida é uma arma, talvez ainda mais poderosa que as armas de destruição massiva. É triste e, deveria envergonhar-nos a todos, mas, infelizmente, é verdade!

Como podemos almejar viver em Paz e segurança se, fomentamos a violência, o ódio e a intolerância?!... Como pode uma Europa, que se diz civilizada, erguer muros de arame farpado, em pleno, séc.XXI, para impedir a entrada de refugiados, cujo único crime que cometeram foi recusar-se a morrer e a ver morrer aqueles que amam, num país que era o deles e que lhes foi subtraído pelos senhores das armas, que o tomaram de assalto e lhes impuseram uma guerra (sem lhes pedir opinião), que não é deles?!...

Se queremos, seriamente, combater a violência e o terrorismo, precisamos de políticos honestos e corajosos, que não sejam subservientes e não cedam ao poderio dos interesses económicos; porque a guerra e o terrorismo combatem-se com política, com diálogo e não com exércitos colossais, "armados até aos dentes" que, também eles, tarde ou cedo, acabarão por se tornar "carne para canhão"!!!...

Não podemos continuar a ter dois pesos e duas medidas. Se os atentados de Paris são (e, é um facto) considerados uma barbárie, as atrocidades cometidas, diariamente, na Síria, não podem ser consideradas "meros acidentes de percurso"; "danos colaterais"; "acontecimentos normais" num país em guerra!

Caros leitores… a guerra não é nem, nunca, poderá ser considerada uma "coisa" normal!!!...

 
main
Avaliações
main
comentários
main