Boa Tarde !     Utilizadores Online:       

DISTRITOS
Algarve
Aveiro
Beja
Bragança
Braga
Castelo Branco
Coimbra
Évora
Guarda
Leiria
Lisboa
Portalegre
Porto
Santarém
Setúbal
Viana do Castelo
Vila Real
Viseu
Açores
Madeira
main
main

GESTÃO ESTRATÉGICA EXIGE-SE PARA A RESTAURAÇÃO ALGARVIA

Data adicionada : April 24, 2014 03:00:10 PM
Autor:
Categoria:
 

24 abril 2014


A gestão estratégica da restauração algarvia parece não ser um dado adquirido entre muitos espíritos. O que é feito à margem da gestão parece ainda enraizado. Alguns gurus da restauração vendem o milagre, muitos acreditam que é por aí que se vai ao encontro das soluções. A restauração não é um mundo cartesiano, baseado nas teorias racionalistas. É um mundo, como diria o Prof. António Damásio, de inteligência emocional, baseado na fisiologia do gosto, longe todavia do livre arbítrio, da venda dos sonhos proposta pelos gurus da profissão. A ideia que a cozinha algarvia, a restauração algarvia, devem ser impostas pela imagem internacional de alguns chefes de cozinha parece-me falaciosa. Um milagre difícil de passar. Não passa de mera imitação que alguns gurus quiseram fazer passar. Foi a experiência de Arzac, de Adrian, de poucos mais. Não é fácil este caminho. O Algarve tem uma cozinha digna que deve ser adoptada pela restauração local. A restauração pode ser refinada, inovadora, mas não pode deixar de honrar as suas origens. Isto parece-me fundamental. O apelo restrito a uma clientela gourmet é um suicídio. Um guru da cozinha espanhola, sensibilizado pela fama, estabeleceu-se em Nova Iorque e foi um autêntico desastre. Impôs a ditadura do menu, esqueceu a carta e teve que regressar a Espanha para encetar vida nova com base no mercado, nos produtos frescos do dia. Depois, há que dizê-lo o restaurante não é só cozinha, também é sala, serviço, fazer com que o cliente volte e isso depende de outros profissionais que normalmente são esquecidos. Servir é difícil, requere qualificações que terão de ser adquiridas. A restauração algarvia depende de múltiplos factores. De qualidade, de níveis de fiabilidade. O cliente exige boa cozinha, mas também bom serviço. A competitividade da restauração algarvia está dependente deste conjunto de exigências. O conceito de qualidade aplica-se a todos os sectores da restauração. O êxito internacional de um restaurante está na oferta deste conjunto de condições. Urge pois estar atento ao sucesso de certos restaurantes. Só com base nesta avaliação, na capacidade inovadora, na acumulação de recursos, é que se pode partir para a devida revelação, para a necessária evidência, o devido reconhecimento. Creio que neste aspecto este jornal on-line pode prestar relevante serviço pela sua revelação da diferenciação positiva da qualidade face a uma concorrência opaca. Isso favorecerá certos restaurantes? Evidente que sim. Mas fa-lo-á por um filtro de qualidade, coerente com o seu pensamento, com a realidade do mercado. Um jornal on-line pode ser, porque não, líder da mudança.

 
main
Avaliações
main
comentários
main